Resenhas de livros

Organização e produtividade

Saúde e bem-estar

O amor mora nos pequenos detalhes

Eu sou capaz de passar horas admirando cada pedacinho seu.

O formato da sobrancelha, os cílios retinhos, o redemoinho de cabelos no topo da cabeça – e aquela faixinha carequinha na parte de trás. Os dedinhos das mãos, as dobrinhas dos braços, as perninhas gorduchas e os dedinhos dos pés que se encolhem quando eu toco. Ah, e tem também aquele pedacinho entre a bochecha e o pescoço, que é meu lugarzinho favorito no mundo todo.

O amor mora nessas coisinhas – em todas e em cada uma delas. Eu te amo por inteiro, mas cada parte pequenina me encanta, me faz a pessoa mais feliz do mundo e me faz crer que esse amor vai sair do peito.

Eu sou muito contente ao te admirar. Posso – e quero – fazer isso pela vida inteira, te decorar de frente e verso, e ainda achar graça em cada pequeno detalhe.

O amor mora nos pequeninos detalhes. Naquela mãozinha minúscula agarrando o peito enquanto mama, naquele olhar de confiança, de gratidão, de amor puro; naquele sorriso que surge todas as manhãs e me abençoa com mais um dia ao teu lado.

O amor que eu sinto é tão puro e gostoso, é algo que nunca tinha sentido antes. É leve, vem fácil e se contenta com pouco. Está sempre presente mas acontece em explosões quando te vê. E eu, que achei que sabia o que era amor… você veio pra me ensinar tudo de novo. E a vida fica muito mais linda quando a gente tem esse tipo de amor, que está presente em cada pequeno detalhe, e no todo.

Comente este post!